25 de setembro de 2017

Barba Ruiva

۞ ADM Sleipnir



O Barba Ruiva, também chamado de Urué, Barba Nova ou Cabeça Vermelha, é um personagem do folclore do estado do Piauí, sendo bastante popular na região da lagoa de Paranaguá. Ele é um ente encantado, considerado filho da sereia Iara. Sua figura está associada a a lenda do surgimento da lagoa de Paranaguá.

De acordo com a lenda, no local onde hoje existe a lagoa de Paranaguá havia em seu lugar uma imensa mata de carnaubeiras, cortada por um pequeno riacho. Próximo a esse local, vivia uma viúva e suas três filhas. Um dia, a filha mais nova ficou doente e ninguém foi capaz de descobrir qual era a sua doença. Mais tarde, foi descoberto que ela estava grávida de um menino, filho de seu namorado que havia morrido antes de se casar com ela.

Ao chegar o momento de dar à luz, a moça entrou na mata. Confusa e sentido muitas dores, ela decidiu que ia abandonar a criança ali mesmo. Assim que a criança nasceu, ela a embalou em um tacho de cobre e a deixou dentro do riacho. O tacho afundou, mas foi trazido à tona por Iara, a rainha das águas. 


Triste e brava pela mãe ter abandonado o filho em suas águas, Iara provocou o crescimento das águas, que, em uma enchente sem fim, alagaram e encharcaram toda a região. As águas tomaram toda a várzea, passando por cima das carnaubeiras e dos buritis. Desde então, a lagoa tornou-se um lugar mágico, onde se ouvem estranhas vozes e observam-se luzes de origem desconhecida. Muitos moradores da região dizem que, durante a noite, pode-se ouvir o choro de um bebê vindo do fundo das águas. 

Conta ainda a lenda que, às vezes, surge das águas um ser humano que, pela manhã, é menino, ao meio-dia, é um rapaz de barbas ruivas e, à noite, um velho de barbas brancas. Muito tímido, ele foge dos homens quando é visto, porém, gosta de se aproximar das mulheres que vão até a lagoa bater roupa, tentando abraça-las e beijá-las. Depois, corre e pula na lagoa, desaparecendo. Por causa disso, nenhuma mulher bate roupa ou toma banho na lagoa sozinha, com medo de ser atacada pelo Barba Ruiva. 

fonte da imagem: Brasil Fantástico
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

22 de setembro de 2017

Kokabiel

۞ ADM Sleipnir


Arte de Peter Mohrbacher
Kokabiel ou Cocabiel (em aramaico: כוכבאל; em grego: χωβαβιήλ, "estrela de Deus"); também pronunciado Kôkabîêl, Kôkhabîêl, Kakabel, Kochbiel, Kokbiel, Kabaiel, ou Kochab, é um anjo caído de acordo com o antigo texto apócrifo conhecido como o Livro de Enoque. Ele é um dos 20 anjos líderes dentre os 200 anjos caídos, sendo o quarto anjo mencionado. É dito que ele comanda um exército de 365000 demônios.

Apesar de quase todos textos apócrifos em que ele é mencionado o descreverem como um anjo caído, o Sepher Raziel ("o Livro de Raziel"), o descreve como sendo um anjo santo. Ele domina a astrologia e a teria ensinado aos seres humanos.

Cultura popular

No anime/light novel Highschool DXD, Kokabiel é um dos principais antagonistas, sendo caracterizado como um jovem com cabelos pretos, orelhas pontudas e cinco pares de asas negras.


fontes:
  • The Encyclopedia of Demons and Demonology, de Rosemary Guiley; 
  • Wikipédia (em inglês).
Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

20 de setembro de 2017

Kyōrinrin

۞ ADM Sleipnir


Kyōrinrin (em japonês: 経凛々ou きょうりんりん, "Sutra inspirador") é um yokai ilustrado por Toriyama Sekien no livro  Gazu Hyakki Tsurezure Bukuro ("A bolsa ilustrada dos cem demônios aleatórios" ou " Uma horda de utensílios assombrados"), o 4º de sua famosa série.

Ele é um tipo de tsukumogami (付喪神 - "espírito artefato") formado a partir de livros, escrituras e pergaminhos antigos que foram negligenciados pelos seus donos e foram deixados largados em algum local por bastante tempo. Comprimidos pela sabedoria dos séculos, eles se juntam e transformam em um espírito cuja a aparência se assemelha a um dragão.


Kyōrinrin é muitas vezes enfeitado, como os pergaminhos que compõem o seu corpo. Ele se decora com os volumes mais enfeitados, usando-os como um quimono e usa rolos com borlas para enfeitar sua cabeça. Desenvolve um bico em forma de pássaro e braços longos e extensíveis, os quais usa para atacar os proprietários ignorantes que deixam esses tesouros e conhecimento inestimáveis caírem em desuso.

Arte de Matthew Meyer

Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

18 de setembro de 2017

Lâmpades

۞ ADM Sleipnir


Lâmpades (do grego Λαμπάδες, em latim: nymphae avernales, "Ninfas Infernais") são ninfas do submundo de acordo com a mitologia grega. 

Companheiras de Hécate, a deusa titânide grega da feitiçaria e encruzilhada, elas foram um presente de Zeus para Hécate por sua lealdade a ele durante a TitanomaquiaElas carregam tochas e acompanham Hécate nas suas viagens e aparições noturnas. Alguns diziam que suas tochas tinham o poder de levar uma pessoa à loucura.

As Lâmpades eram as contrapartes divinas dos celebrantes de Elêusis que carregavam tochas durante os ritos noturnos dos mistérios de Deméter.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

15 de setembro de 2017

Adlet

۞ ADM Sleipnir

Adlet (ou Erqigdlet) são uma raça de canídeos com características humanoides pertencentes a mitologia inuíte. Segundo o mito, eles eram o fruto do acasalamento entre Niviarsiang, uma jovem inuíte, e Ijirqang, um cão vermelho que era capaz de se transformar em um ser humano.

De acordo com o mito inuíte, Niviarsiang já havia recusado muitos pretendentes, e seu pai Savirqong, já sem paciência, lhe disse que se nenhum homem era suficientemente bom para ela, ela poderia muito bem casar-se com um cão. No dia seguinte, um novo pretendente, Ijirqang, bateu a sua porta, usando um amuleto em formato de garras de cão. Desta vez, Niviarsiang não recusou seu pretendente, e os dois foram morar em uma ilha próxima. Após um tempo, Niviarsiang começou a suspeitar que Ijirqang era na verdade um cão que podia assumir a forma humana, mas suas suspeitas só vieram a se confirmar quando ela deu a luz a uma ninhada de cinco filhotes de cachorro e cinco bebês humanos.




Em uma versão da lenda, os cinco filhos totalmente caninos foram abandonados em um barco a deriva no mar, e vieram a se tornar os ancestrais dos povos brancos europeus. Já os cinco bebês humanos permaneceram com a mãe, e com o tempo se transformaram em Adlets, tornando-se viciosos guerreiros canibais.

Numa segunda versão deste mito, Ijirqang nadava até a casa do pai de sua esposa todos os dias para ser alimentado, uma vez que em sua forma de cão, ele era incapaz de caçar. Após um tempo, o pai  da jovem se cansou de alimentar a família de sua filha, por isso ele colocou pedras no saco junto da carne que ele deu a Ijirqang. Com o peso da bolsa, Ijirqang não conseguiu ir muito longe, morrendo após afundar no mar e se afogar. Niviarsiang tomou conhecimento do fim que levou seu marido, e assim que seu pai veio visitá-la, ela enviou seus filhos cães sobre ele, e eles o mataram. Sem marido e agora sem seu pai, Niviarsiang não tinha mais meios de manter a si mesma e seus dez filhos, então decidiu deixar seus filhos entregues à própria sorte. Ela transformou suas botas em barcos e colocou seus dez filhos neles, despachando-os ao mar. Apesar disso, eles sobreviveram, e de acordo com a crença inuíte, eles vieram a se tornar os ancestrais dos povos nativos americanos e também dos povos brancos.


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!

14 de setembro de 2017

5 Anos de Blog!

۞ ADM Sleipnir


Olá pessoal! Hoje completamos 5 anos de Portal dos Mitos. Tenho me esforçado bastante para manter o blog sempre atualizado, e tentando trazer o melhor conteúdo possível. Agradeço a todos que nos acompanham por aqui, pela página ou pelo nosso canal no Youtube, que no momento encontra-se paralisado por falta de tempo para me dedicar a ele.

Deixo um agradecimento especial a vocês que comentam as postagens. Eu gosto muito quando vejo uma publicação nossa recebe um feedback de vocês, seja positivo ou negativo, pois me mostra onde estou acertando e onde estou errando no que faço aqui no blog.

Obrigado a todos vocês! Que venham mais 5 anos!!

Rodrigo Viany (Sleipnir)


Obrigado por sua visita! Se gostou da leitura, por favor deixe um comentário. Compartilhe nossas postagens nas redes sociais!
Ruby